Destaques

Bomba de pulso: de volta à Idade da Pedra.

Postado por Thiago Portella na categoria Curiosidades no dia 23-10-2009

8

Assisti ontem a um programa no Discovery Channel cujo nome era “Armas do futuro”. Dentre muitas variações no combate ao terrorismo e forças hostis, existia uma cuja dimensão dos danos era quase incalculável: A bomba de pulso eletromagnético. Agora você se pergunta como isso tem a ver com o nosso tema INFORMÁTICA. A resposta é: TUDO.

Já parou pra avaliar o quanto é grande a nossa dependência de aparelhos eletrônicos, sistemas informatizados de finanças, transportes, hospitais e muitas outras aplicações quase indispensáveis nos dias de hoje?

A partir deste ponto, podemos imaginar os efeitos causados por esta bomba. Sabemos que campos magnéticos são prejudiciais a alguns componentes eletrônicos e você pode observar isto deixando um disquete, hoje quase obsoleto, perto de um monitor de vídeo, alto-falante ou algo parecido. Fazendo isso, simplesmente você perderá seus dados.

Agora, aumente a escala deste experimento. Amplie o alcance do pulso eletromagnético e teremos, então, um caos total.
Estima-se que, detonando uma bomba a pouco mais de 400Km de altitude, seria possível destruir todo e qualquer componente eletrônico existente em um país da extensão dos Estados Unidos. Estima-se que os danos seriam tão catastróficos que seriam necessários meses ou anos para se reerguer toda a estrutura tecnológica do país atacado, dependendo de suas dimensões e recursos.

Seria possível, ainda, detonar uma pequena bomba emitindo um pulso de alcance reduzido dentro da bolsa de valores de Nova York, fazendo com que em menos de 1 segundo fossem perdidos trilhares de Dólares em ações, levando à falência uma quantidade incalculável de empresas ao redor do mundo. Em grandes escalas, perderíamos a paralização dos sistemas de controle de tráfego aéreo e todas as aeronaves voando naquele momento sofreriam com isso, causando a morte de milhares de passageiros. Sistemas de trânsito parariam de funcionar, o abastecimento de energia elétrica e água seriam totalmente comprometidos, os automóveis seriam desligados imediatamente, tudo o que tiver algum componente eletroeletrônico seria danificado sem qualquer chance de recuperação. Viveríamos às cegas ou voltaríamos à Idade da pedra. As consequências de um ataque deste tipo, silencioso e invisível, seriam tão grandes que não podemos avaliar tudo aqui. Deixe que sua imaginação flua e pense em como somos dependentes de tecnologia e como ela pode ser o início e o fim.

Isto comprova que Einstein estava certo ao dizer:

“Não sei como será a 3a Guerra Mundial, mas posso te dizer como será a Quarta: Com paus e pedras.”

Os assuntos sobre a Bomba de pulso são tão sigilosos que pouco foi revelado no documentário. O caso é segredo de Estado por motivos óbvios. Pesquisas e testes estão sendo feitos nos EUA pelos militares e o que foi dito aqui é apenas uma prévia do que pode estar por vir.

Comentários (8)

Uma 3ª Guerra mundial hoje, de fato destruiria o mundo.
Bomba de pulso: de volta à Idade da Pedra. http://bit.ly/4o7glk

Mas com Barack no poder, guerras não haverão! :D
kkkkkk (faz-me rir)

Cara, texto amazing!
Quando li “bomba de pulso eletromagnético” já imaginei tudo o que seria dito aqui…
Mas gostei do ponto de vista…

Só lembrando, há como fazer um PEM caseiro.
Não é nada difícil, vi em algum lugar, só não lembro onde.

Outra coisa… Se um transformador do poste da sua rua explodir, irá ser liberado um PEM também. Mas claro, em pequena escala…

Sugestão de pesquisa: GAIOLA DE FARADAY :D

PF ME FALA COMO FAZER UM GERADOR DE PEM CASEIRO QUE POSSA FRITAR OS CIRCUITOS DE UM RÁDIO!!!
ME PASSA O SITE AÍ!!!!
Pegar uma bobina de ignição, fonte de energia de, pelo menos, 4 amperes. Em seguidar, liga-se a bobina a um interruptor, parecido com um botão de campainha, um condensador de 100 nanofarads em paralelo com o interruptor, e é criado um gerador de pulso, capaz de gerar a onda eletromagnética conhecida como P.E.M. Finalizando, coloca-se uma antena no terminal de alta tensão, para canalizar a energia e irradiar o pulso. Ao pressionar o botão, a energia circula pelo primário da bobina e ao soltar há pulso no secundario.
Bicho…eu fiquei louco quando eu vi essa parada. Os americanos observaram isso como resultado do efeito colateral causado pela detonação de bombas nucleares. Estes efeitos eram quase que ignorados, mas foi constatado que eram muito relevantes quando, em um teste feito no pacífico, a 1500km do Havaí, notaram que uma cidade de lá havia ficado sem eletricidade. Desde então, eles ficaram com o “c# na mão” por causa do risco de um PEM colossal. Pode até ser fácil gerar um PEM, mas detoná-lo há quase 500Km de altitude não é nada mole!!! hehehe…
:O muito louco!!
Fiquei impressionado! sério mesmo… algumas vezes eu já havia pensado nas consequências da inexistência de tecnologia no mundo atual, mas não sabia que isso podia acontecer xDa
lamento, mas sim havera uma terceira guerra mundial em 2015 , pelomenos foi o que conta a historia de JOHN TITOR , VEJAÕ NO GOOLE.

Deixe um comentário